Contraste:
Tamanho do texto:

Dicas

Calçado impróprio pode resultar em multa e até acidentes.

Calçado impróprio pode resultar em multa e até acidentes.

Voltar

O ato de dirigir exige atenção, exige também cuidado e preparação. Antes de sair de casa, o condutor deve verificar a documentação do veículo, o estado de manutenção, as suas próprias condições para dirigir e se está com o calçado adequado para esta ação. Apesar de muitos não se importarem com a informação, a utilização inadequada de calçados ao dirigir pode colocar em risco a segurança do trânsito e trazer multas aos motoristas.

Calçados que não se fixam aos pés, como chinelos, e os saltos altos podem comprometer a segurança e aumentar o risco de acidentes. Alguns tipos de saltos podem provocar acidentes, já que os saltos limitam a flexão do tornozelo e prejudicam a sensibilidade, impedindo que o calcanhar encoste no chão. A motorista pode perder a estabilidade na troca dos pedais e correr o risco de enroscar o solado no tapete do veículo.

Outros vilões da direção são os chinelos de dedo, tamancos ou qualquer outro calçado que não tenha suporte atrás dos calcanhares. Os sapatos de bico fino também não são adequados, pois se enroscam com maior facilidade nos pedais.

O Artigo 252 do Código Brasileiro de Trânsito prevê multas para quem dirigir usando qualquer tipo de calçado que não se firme nos pés. Se o condutor for flagrado pela fiscalização com um calçado que não esteja de acordo com as normas de trânsito será multado em R$ 130,16 e acumulará quatro pontos na habilitação, infração considerada de gravidade média.

A prevenção nesse caso é deixar um tênis ou calçado apropriado dentro do carro. Dessa forma, você evita a multa e principalmente, evita se envolver em um acidente de trânsito, que pode ter consequências fatais.