Contraste:
Tamanho do texto:

Dicas

Grávidas no trânsito!

Grávidas no trânsito!

Voltar

Para a Associação Brasileira de Medicina do Tráfego (Abramet), uma mulher consegue dirigir confortavelmente até o final do quinto mês de gestação. A partir do sexto mês a recomendação é diminuir o tempo ou não utilizar mais a direção veicular.

De acordo com os especialistas da Abramet, existem fatores de risco para o organismo da gestante e um deles é a vibração do veículo. Amortecedores, buracos, lombadas na rua são capazes de fazer uma vibração maior podendo afetar o neném dentro do útero.

As variações de temperatura do clima e o desgaste físico e metal, levando ao aumento da frequência cardíaca, são mais alguns motivos porque a direção depois do sexto mês de gestação não é sugerida. Esses fatores podem fazer o coração do bebê bater mais forte, havendo ainda mais necessidade de oxigenação.

Quando a mulher chega ao último trimestre de gestação, aparecem ainda outros sintomas fisiológicos, como o aumento de peso na barriga, edemas e inchaços nas pernas, dificultando não só o caminhar, mas o ato de dirigir. Se for dirigir por pouco tempo, tudo bem. Mas se for trajetos longos, o ideal é evitar, pois vão piorar esses sintomas.

Ao conduzir o carro, a gestante precisa atingir os pedais de forma confortável, mantendo a flexão dos joelhos. Já a distância do volante deve ser aquela onde consiga dirigir com segurança, mas mantendo a barriga distante da direção, pois em caso de frenagem pode levar à compressão do abdômen.

Para as grávidas, o uso do cinto de segurança continua obrigatório. A faixa diagonal deve passar entre as mamas e na lateral do abdômen. E a faixa horizontal precisar estar sobre a parte mais baixa, entre as juntas das pernas com a barriga, para também evitar a compressão do abdômen.

Finalizando, é necessário ainda levar em consideração outros sintomas da gravidez, como os enjoos, as vertigens nos três primeiros meses de gestação, tonturas e o mal-estar. Se a gestante tem esses sintomas, precisa conversar com o médico para receber a medicação e ser orientada sobre a direção veicular. Ela precisa ter controle total sobre esse veículo, para que não sofra e nem cause acidentes a terceiros.

Oferecimento: ARTESP – Agência dos Transportes de São Paulo